Dor no ombro: tudo o que você precisa saber!

  1. Homepage
  2. Dor no ombro: tudo o que você precisa saber!
IMG_0092

Só quem sente dor no ombro sabe o quanto isso limita as atividades diárias. Não fosse suficiente, muitos sentem piora dessas dores ao deitar-se sobre o braço durante a noite, o que prejudica a qualidade do sono e o descanso.

Se fosse raro eu não estaria aqui falando sobre isso. Basta pensar um pouco e lembrar:

Conhece alguém que já tenha reclamado de dor no ombro?

Se sua resposta foi “SIM”, e mais ainda se foi “SIM, EU”, então tenho boas notícias: esse artigo foi feito para te ajudar.

Essa é a articulação mais flexível do nosso organismo. Significa dizer que seu arco de movimento extremamente amplo auxilia na execução de tarefas muito importantes da vida diária, por exemplo: para realizar higiene pessoal, pegar no seu braço contralateral, levar a mão até a boca, até a cabeça, costas, e ainda ser capaz de manter nosso corpo pendurado pelas mãos.

Por isso mesmo, a dor no ombro gera intenso desconforto e limitação de atividades diárias na vida de quem sofre com algumas das doenças que comentarei abaixo.

Quem sente dor no ombro?

A parcela da população mais acometida são as mulheres com mais de 40 anos, quando as tendinites e bursites são mais frequentes. Já o sexo masculino, responde por 40-45% dos casos, divididos entre jovens (luxação do ombro, luxação acromioclavicular, fraturas) e adultos com mais de 40 anos (lesão do manguito rotador, artrose, tendinites e bursites).

Os trabalhadores braçais que executam esforços repetitivos estão no alvo dessas doenças, sendo a dor no ombro a 4a causa mais comum de afastamento do trabalho no Estado de São Paulo, bem como incapacidade produtiva na idade economicamente ativa.

Fiz um levantamento dos pacientes com dor no ombro atendidos no consultório. Os resultados preliminares deixam clara a importância de não adiar os exames e tratamento.

Principais causas de dor no ombro

Muitos fatores podem contribuir para a dor no ombro, isoladamente ou em combinação.  Segue em destaque cada um deles.

Movimentos repetitivos ou de carga excessiva

Nesta situação, os tendões ficam sobrecarregados, podendo inflamar (tendinite), degenerar ou romper (lesão do manguito rotador). Acontece tanto por fraqueza dos tendões do manguito em relação às atividades habituais, quanto por excesso de esforço. Muito comum em trabalhadores braçais ou atletas que realizam esforços com movimentos repetitivos.

Fraqueza/Desequilíbrio muscular

A dor no ombro pode acontecer quando os músculos que realizam o movimento do úmero e da escapula estão fracos, resultando em um movimento ineficiente da cintura escapular. Fica o alerta para pessoas sedentárias, ou ainda atletas que não realizaram um fortalecimento específico preventivo dos ombros.

Má postura

Quem acredita que a postura inadequada cause problemas apenas na coluna lombar está muito enganado. Também é fonte de dor no ombro. O posicionamento inadequado da escapula em relação ao tórax precipita a ocorrência de impacto nos tendões do ombro, além de sobrecarregar a musculatura estabilizadora da cintura escapular. Chamamos isso de Discinesia Escapular, e causa dor por contraturas e sobrecargas musculares, tendinite, bursites, podendo ser acompanhado ainda de diminuição de força dos ombros. (falaremos mais disso em outro post, aguarde!).

Traumas

Os acidentes, quedas, “pancadas” ou “trancos” que sofremos, mesmo que aparentemente inofensivos, são causas frequentes de dor no ombro, seja na fase aguda (no dia do trauma) ou mesmo meses e anos após o episódio. Os diagnósticos mais comuns são as fraturasluxação, lesões tendíneas ou labrais, e ainda processos inflamatórios secundários, como a capsulite adesiva.

Predisposição genética

Alguns indivíduos possuem uma constituição física que deixa os ombros mais predispostos a inflamações. A anatomia desfavorável causa a Síndrome do Impacto do Ombro, que leva a tendinite e bursite de repetição. Outro caso é a Tendinite Calcária do Ombro, na qual formam-se depósitos de cálcio entre as fibras tendíneas e bursa, causando inflamação e dor.

Condições inflamatórias e degenerativas

Neste grupo estão as doenças reumatológicas como a artrite reumatóide, e a artrose. Causam desgaste da articulação, destruindo a cobertura de cartilagem, a estrutura óssea, capsular e tendínea.

Capsulite adesiva do ombro

Os sintomas são dor e limitação de movimento. Causa intenso sofrimento para quem adquire essa doença, sendo mais comum em pacientes diabéticos. Não deixe de ler o artigo detalhado sobre o assunto clicando aqui!

Clicando nos links acima, você consegue saber melhor sobre cada uma das doenças citadas.

Nos próximos posts, falarei sobre as formas de tratamento da dor no ombro e quais as formas de prevenção que existem hoje. Não perca!

Cadastre-se aqui no site para receber as informações atualizadas no seu e-mail.

Ficou com alguma dúvida? Comente aqui embaixo e aguarde minha resposta.

Abs

Dr. Gustavo Borgo

fontes:

Avatar

Gustavo Borgo

Author Since:  05/01/2018

O Dr. Gustavo Borgo ingressou na Universidade de São Paulo em 2001 concluindo o curso de medicina no ano de 2006. Atuou em diversos hospitais exercendo medicina de emergência até 2008, quando iniciou a especialização de três anos em Ortopedia e Traumatologia no IOT-HC FMUSP. Após o término, dedicou mais um ano com foco em Cirurgia de Ombro e Cotovelo, e ao completar a sua formação, participou de um programa de visitação internacional à França, onde pode conhecer melhor os serviços de Cirurgia de Ombro e Cotovelo de Gilles Walsh M.D. em Lyon e Geoffroy Nourissat M.D. em Paris.

Atuante na formação de novos ortopedistas, foi médico colaborador da preceptoria dos residentes de ortopedia do Hospital das Clínicas, e hoje participa da formação dos residentes de Ortopedia do SUS no Hospital Geral de Itapecerica da Serra.